22/11/2017 - Franquia

Qual a diferença entre franquia, microfranquia e nano franquia?

Um dos modelos de negócio mais recomendado para novos empresários, a franquia se destaca por oferecer o suporte da rede franqueadora, trazendo segurança para quem começa um empreendimento próprio.

E dentro deste modelo, pode-se apontar três subdivisões. Cada uma delas possui características particulares, que podem se adequar às necessidades e planos futuros para os diferentes perfis de investidores. Você sabe como funcionam essas três propostas? Neste texto vamos falar sobre a diferença entre franquia, microfranquia e nano franquia. Confira!

Modelo estrutural

Basicamente, a principal diferença está relacionada ao aspecto financeiro, variando tanto no investimento quanto no faturamento da franquia.

Num contexto geral, todos os modelos são de negócios onde franqueado e franqueador caminham juntos, estabelecendo uma relação de parceria onde um auxilia o outro a desenvolver e consolidar a marca. Para que isso aconteça, a padronização da marca estabelecida pelo franqueador deve ser seguida pelo franqueado.

Deste conjunto fazem parte a cartela de cores, a estrutura do negócio, o tipo de local onde se estabelece, seu perfil de público alvo e, ainda, o sistema de atendimento adotado. Todo conhecimento adquirido pela franqueadora na construção da rede é passado para o franqueado, e tem como objetivo final o sucesso nos negócios para os dois lados.

Diferentes tamanhos, diferentes necessidades

Uma franquia padrão, com necessidade de estrutura e estoque maiores, também requer um investimento inicial proporcionalmente maior. Os custos inaugurais de instalação com funcionários e equipamentos, além da remuneração para a franqueadora pelo uso da marca, treinamentos e suporte, representam um investimento considerável, que precisa ser previsto.

Para quem não tem tanto capital a investir, o modelo mais adequado, com as mesmas obrigações e direitos, é o das microfranquias. Com investimento mais baixo, as microfranquias podem ser definidas por um cálculo razoavelmente simples, que verifica se o investimento máximo no negócio está dentro dos limites para enquadrar-se nesta categoria. A conta é a seguinte: três vezes o PIB anual médio por habitante do país, segundo a Associação Brasileira de Franchising. 

Nano franquias ganham força no Brasil

Mas, a grande novidade do mercado, e que oferece a oportunidade para quem possui poucos recursos, ou seja, um investimento ainda menor que o requerido para franquias ou microfranquias, são as nano franquias. O modelo ganhou força no Brasil com a liberação da verba do FGTS nos últimos meses, sendo ótimo recurso também para quem ficou desempregado e quer tomar um novo rumo no mercado.

As nano franquias demandam um investimento na faixa de 20 a 25 mil reais, proporcionando um retorno médio de 3 a 5mil reais por mês. Neste perfil de franquia não é necessário ter uma loja física ou funcionários, pois a ideia é que o negócio seja gerido apenas pelo proprietário. A venda dos produtos também é pensada para que o franqueado não tenha custos com estoque, já que são os pedidos são feitos por meio de catálogos, sem precisar de espaço para estoque ou atendimento fixo.

Independentemente do modelo escolhido, a dedicação, o comprometimento e a mente aberta para buscar boas oportunidades, devem estar sempre presentes.

Quer saber mais? Veja o que são as microfranquias, afinal?

 

Deixe seu comentário