10/05/2018 - Franquia

É possível fazer mudanças na franquia?

Mudar algo na franquia Pode ou nãoAo adquirir uma franquia o empreendedor está garantindo seu acesso a um modelo testado, aprovado e reproduzido em forma de rede, seja esta com poucas ou milhares de unidades. Porém, muitos franqueados, ou candidatos, pensam em fazer mudanças de forma independente em sua unidade.

A intenção pode ser boa, mas não é a forma mais correta de atuar dentro de uma franquia.

Ao assinar o contrato com a franqueadora, o franqueado recebe todas as orientações a serem seguidas e as regras estabelecidas para se obter o resultado comprovado pelo modelo de negócio.

Sugestões e opiniões sempre serão bem-aceitas, ainda mais se pensarmos que o franqueado vive o dia a dia do negócio, está diretamente envolvido na operação, e assim conhece melhor algumas particularidades do processo e até mesmo dos consumidores. Só que isso não significa que ele pode ignorar as regras recebidas.

O sistema de franquias envolve padrões e para fazer qualquer tipo de alteração, o franqueado deve obter uma autorização prévia do franqueador.

Pensar em rede

Cabe lembrar que o conceito de franquia é justamente replicar um modelo de sucesso. Ao sugerir uma mudança, é preciso analisar se ela traz benefícios para toda a rede, podendo ser implementada em todas as unidades.

Os franqueados não podem promover nenhum tipo de alteração na franquia de forma unilateral, pois se cada um decidir por conta própria fazer mudanças, como alterar o mix de produtos ou mudar o layout da loja, por exemplo, o negócio perderá o sentido de rede. Além disso, cria-se o risco de prejudicar o desenvolvimento da marca e de outros franqueados.

Monitoramento

E não dá para pensar que ninguém ficará sabendo. As franqueadoras acompanham de perto qualquer mudança em suas redes. Existem as auditorias regulares, e, com o mundo digital, fica quase impossível manter em segredo alguma modificação feita sem autorização. Afinal, se a inovação foi feita, divulgá-la será um caminho natural.

Nesses casos o franqueador pode agir com uma advertência ou até o descredenciamento do franqueado.

Quer dicas de como aumentar as vendas? Leia este artigo.

03/05/2018 - Dica

Sim, vale a pena oferecer produtos para todas as classes sociais!

produtos para todas as classes sociaisNos últimos anos, o varejo sofreu um movimento de transformação social, em que a nova classe média ganhou seu espaço no mundo do comércio. As classes mais baixas adquiriram mais poder de compra e são as que mais crescem entre os consumidores. Diante desse cenário de dinamismo, muitas empresas apostaram em oferecer produtos e serviços que atendam às necessidades também deste público.

Escolher investir em produtos acessíveis a todas as classes sociais é uma boa maneira de conquistar expansão no varejo e garantir resultados positivos. Trabalhando com diversos públicos, a marca cresce facilmente, em resultados e em reconhecimento.

Mesmo que as preferências e características de compra mudem de acordo com a classe socioeconômica, alguns fatores são comuns a todos os consumidores: bom custo-benefício e disponibilidade.

Um bom exemplo é o mercado de acessórios, um dos setores que mais cresce no mercado brasileiro, consumidos por pessoas apaixonadas por moda ou não. Semijoias, como as produzidas pelo Mapa da Mina, atendem aos públicos das classes A até a C, com peças que custam de R$30 a R$200. A garantia de alta qualidade dos produtos aliada à fabricação própria assegura variedade nas coleções, acompanhando as tendências e garantindo opção para todos os perfis de consumidores.

Um grande trunfo para atingir mais mercado que, aliado a um bom atendimento e a experiência adequada, garantem resultados positivos.

 

Páginas 1234521