25/05/2018 - Dica Franquia

Franquias em locais alternativos

Abrir uma franquia em locais alternativos (Foto: Pixabay)Quando se fala em abrir uma franquia, na maioria das vezes, o primeiro pensamento é uma loja de rua ou dentro de um shopping, já que o negócio estaria em maior evidência em um lugar com alta circulação de pessoas. Mas não necessariamente estas são as melhores opções de locais.

Existe uma variedade de alternativas, como galerias comerciais, postos de gasolina, hipermercados e até hospitais, que podem ser muito promissoras. Os pontos tradicionais, além da disputa mais acirrada, também enfrentam processos de reinvenção para se adequarem às constantes transformações do mercado de consumo.

Na rua, diversos fatores influenciam para o sucesso, assim como para o fracasso do empreendimento. Maior estabilidade é uma das vantagens de optar-se por um local em que a demanda recorrente dos consumidores é conhecida e o perfil é mais aliado com o público-alvo da marca, gerando, assim, mais chances do investimento progredir.

Locais alternativos

Inicialmente, é preciso entender cada segmento, as possibilidades que eles oferecem e contabilizar despesas mensais, como aluguel, taxa do fundo de promoção e taxa de condomínio, por exemplo, para decidir pelo lugar da sua loja.

Entre as opções para quem planeja abrir um negócio com foco no público jovem, o ambiente escolar tem se despontado, já que os estudantes passam boa parte do dia por lá.

Aeroportos, rodoviárias e metrôs –  a estação da Sé, a mais movimentada de São Paulo, por exemplo, atende mais de 530 mil usuários por dia – são núcleos de enorme fluxo de pessoas diariamente. Terminais rodoviários têm giro rápido e mais apelo popular, já os aéreos podem ter o custo do espaço mais alto. Lembrando, ainda, que alguns destes locais permitem o funcionamento 24 horas. Ou seja, a análise de potencialidades de público, sazonalidade, gastos e lucros é fator decisivo.

Escolha com sabedoria

A escolha do ponto e formato da franquia não pode ser intuitiva, já que é capaz de determinar o sucesso do seu negócio. Para Marcos Hirai, sócio-diretor da GS&BGH Retail Real Estate, é fundamental o franqueado colocar todas as contas no papel antes de fazer a escolha do local da sua loja. “Qualquer ponto comercial é bom, quando o público está de acordo com o seu negócio e suas vendas são maiores que os custos”, afirma.

Além de pensar nas despesas, é preciso explorar os possíveis locais da região e o formato em que a franquia será instalada, projetando o potencial de vendas. “Não existe regra, precisa existir o bom senso. É bacana também envolver o franqueador nesse processo de escolha, aproveitando a experiência dele em outras franquias para o acompanhamento na escolha do ponto”, complementa Hirai.

Da mesma forma, é importante se adaptar aos formatos que cabem em cada localidade. As franquias de quiosque apresentam porte versátil e podem ser montadas em shoppings, aeroportos, terminais rodoviários e galerias com modelos enxutos e investimentos menores.

Outros modelos, como o Express, por exemplo, permitem que o franqueado feche parcerias com outros estabelecimentos, como salões de beleza e lojas de cosméticos, utilizando o ponto já consolidado para colocação de uma torre com produtos da marca.

Investigando bem o local, verificando a rentabilidade do negócio e conversando com outros franqueados, é possível encontrar a melhor alternativa para abrir a sua franquia fora de lugares tradicionais.

Deixe seu comentário